domingo, julho 28, 2013

Neonomicon; Fabulas vol. 1 e 2; 100 Balas vol. 1

Um agradecimento especial ao Eudes do Rapadura Açucarada que me proporcionou a ótima leitura das obras abaixo. Graças a ele eu pude conhecer o horror pertubador de Neonomicon, o deslocamento cerebral das histórias de Fábulas (quem poderia imaginar estes personagens em tão diferentes situações?) e pude me redimir de não ter lido antes a excelente história noir de 100 balas. 
Eudes, desculpe por copiar os seus textos (que podem ter sido copiados de outras fontes...) mas é que a preguiça não me deixou ir mais longe.  Um abraço!




Alan Moore escreveu em 2003 The Courtyard (O Pátio), que foi adaptada para os quadrinhos por Antony Johnston, em uma minissérie de duas edições. Ela versava sobre o agente do FBI Aldo Sax que investiga vários assassinatos bizarros e que acaba se envolvendo mais do que deveria com o objeto investigado. Com base nos escritos de H. P. Lovecraft, Moore criou seu próprio conto de horror. Tudo bem, a coisa parecia ter parado aí e ninguém mais falou no assunto.


Mas, em 2010, nada menos que sete anos depois, Moore retoma essa história e a amplia. E não só a história em si, mas amplia também o horror e inclui sexo explícito e violento como poucas vezes se viu em uma HQ, fazendo com que fosse até mesmo banida de algumas bibliotecas nos EUA.


Desta vez dois agentes do FBI continuam o trabalho de Aldo Sax e vão penetrar mais ainda no mundo de H.P. Lovecraft. Merril Brears e Gordon Lamper descobrem uma seita que pode estar ligada aos assassinatos e resolvem se infiltrar, para tentarem descobrir qual a relação dos escritos de Lovecraft com tudo que tem acontecido. Acabarão descobrindo bem mais do que esperavam.





Mais uma série Vertigo que alcançou os píncaros do sucesso. Fábulas pegou os personagens dos contos de fadas e os trouxe para o mundo real, em uma trama com um humor, suspense, romance e aventura. Expulsos do mundo da fantasia por um Adversário implacável, as fábulas vivem em nosso mundo, como pessoas comuns, graças a poderosos feitiços. Neste ambiente Branca de Neve é uma espécie de sub-prefeita, sendo que, na verdade, ela é que acaba resolvendo todos os entreveros.

O Lobo Mau é agora, um detetive que trabalha para a prefeitura. E, nesta primeira edição, ele tem um caso sério a resolver: o assassinato da irmã de Branca de Neve, Rosa Vermelha. Envolvido no imbroglio está João (o do pé de feijão) que leva a notícia para Bigby (o Lobo), e acaba como suspeito do crime, já que era namorado de Rosa. Mas, o crime é bem mais complicado, já que não há um corpo, mas há muitos suspeitos. Bigby tem que descobrir quem matou Rosa Vermelha e porque.

Neste primeiro volume somos apresentado ao mundo de Fábulas nesta aventura detetivesta a la Afatha Christie, que não chega a ser um mistério tão difícil de ser desvendado, mas que nos divertimos com os detalhes e ficamos conhecendo alguns dos principais personagens dete conto de fadas moderno.






Depois dos acontecimentos que abalaram (ainda mais) a relação entre Branca de Neve e Rosa Vermelha, Branca resolve que as duas precisam de um tempo a sós para tentarem reatar uma amizade há muito perdida. Para isso embarcam numa viagem até a fazenda das fábulas, protegida dos olhos humanos e onde habitam as fábulas animais, já que seria estranho um bando de animais falantes andando pelo mundo que conhecemos.


Porém, mesmo antes de chegar, Branca já nota sinais de que algo estranho está acontecendo na fazenda, e nem mesmo George Orwell poderia imaginar os animais de contos de fadas em sua Revolução dos Bichos. Liderados por ninguém menos que Cachinhos Dourados, os animais do reino da fantasia estão se armando para retomar o mundo de fantasia de onde foram expulsos. Ou, ao menos é isso que contam para Branca de Neve.

A situação entre ela e Rosa Vermelha está prestes a ficar pior do quando chegaram e, para tentar impedir uma catástrofe, a nossa princesa obtusa terá que contar apenas com as fábulas que ainda não foram corrompidas pelos planos da guerrilheira dos cachinhos de ouro.





A HQ que arremessou os dois artistas - Azzarello e Risso - ao estrelado dos comics, trata sobre um estranho agente Graves que aborda pessoas que tiveram algum tipo de percalço na vida e oferece-lhes a chance de revidar. Entrega-lhes uma mala com 100 balas, um revólver e a informação de quem ferrou com a vida deles. Se a pessoa resolver dar o troco, nunca será acusada, pois a arma e as balas não são rastreáveis.

Neste volume conhecemos três dessas pessoas: uma ex-presidiária latina que teve marido e filho pequeno assassinados, um barman que teve sua vida devassada por uma falsa acusação de pedofilia e um jogador compulsivo que passou 12 anos na cadeia e vive endividado por conta do seu vício. O que a chance de revidar saindo incólume fará com a mente dessas pessoas? O que mais está em jogo? Quem é o agente Graves e qual seu lucro em tudo isso. Uma coisa é certa, ninguém faz nada de graça, para tudo há um preço. Não gaste toda sua munição.

sexta-feira, julho 26, 2013

Aquaman 21; Monstro do Pantano 15 a 19; Homem Animal 17 a 19;














Monstro do Pantano 19



Homem Animal 17



Homem Animal 18



Homem Animal 19


Chegou ao fim o arco Mundo Podre que uniu o Homem Animal e Monstro do Pântano numa jornada em um futuro dominado pelo Podre e comandado Por Anton Arcane. Mas nos números 19 tudo volta ao normal... bem, normal é força de expressão e quem leva a pior nesse retorno com certeza é o Homem Animal. Mas não vou dar spoilers, quem ainda não leu que leia pois está perdendo uma excelente história.