segunda-feira, fevereiro 27, 2012

Defensores 01 e 02; All Star Western 01 a 05;Sertanejo universitário







Spin-Off do impressionante final de O Próprio Medo! O digno final sobre um tumulto global! Matt Fraction (Fear Itself, Mighty Thor, Invincible Iron Man) com Terry Dodson (Uncanny X-Men, Sensational Homem-Aranha)! Personagens favoritos da Marvel de todos os tempos se unem para resolver uma misteriosa conspiração profunda no coração do Universo Marvel! A última linha de defesa contra as forças do desconhecido! --- Como pré-requisito recomendado, pegar Marvel Point One e ler a história do Dr. Estranho, "The Shaman of Greenwich Village". Ela é um prólogo introdutório dos Defensores #01





Mesmo quando Gotham City era apenas cidade de um cavalo, o crime era galopante - e as coisas só pioram quando caçador de recompensas Jonah Hex vem para a cidade. Pode Amadeus Arkham, um pioneiro da psicologia criminal, convocar Hex para ajudar o Departamento de Polícia de Gotham a rastrear um cruel serial killer à solta em Gotham? Descubra na nova série de Jonah Hex escrita por Justin Gray e Jimmy Palmiotti, com artes exuberantes de Moritat.


*************************

Sempre quando vem essas ondas de novas tendencias musicais eu sou contra, não gosto. Mas depois com o tempo depois de tanto ouvir, acabo vendo que tem algumas coisas boas e curto um pouco. Com o sertanejo universitário não foi diferente, também com a lavagem cerebral que fazem em nós (quem consegue ficar um dia sem ouvir nada de S. U.?), é quase impossível não se acostumar.
Aí abaixo vai uns vídeos desse estilo de música:





Depois de conquistar o mundo com a versão original, Michel Teló gravou essa versão em inglês da  música mais chiclete dos últimos tempos. Ai se eu te pego virou If i catch you e ganhou esse clipe. Eu sinto orgulho por um cantor brasileiro ganhar tanta projeção internacional, pois pra maioria dos outros países, o termo latino se refere somente a castelhanos.




Essa música chama mais atenção pela letra, no início achei a maior bobagem e de mau gosto, mas depois de tanto escutar vi que até que tinha uma música legal. Afinal...
"Traição é traição,
 Romance é romance,
Amor é amor
E um lance é um lance."





Balada boa, do Gustavo Lima, é outro expoente dessa geração do sertanejo universitário. Boa música, grudenta também. O que chama atenção nessas músicas é que se você tirar a gaita e o violão, fica uma dance. Taí, se você quiser fazer sertanejo universitário é só pegar uma música dance e colocar gaita e violão nela...


E pra quem quiser baixar essas músicas aí de cima em mp3 e mais o cd Festa Sertaneja com uma seleção das melhores músicas desse estilo, é só ir no link abaixo:

domingo, fevereiro 26, 2012

Justiceiro Max 20 e 21; Justiceiro - Homem da Mafia; Incrível Hulk 01 a 04 (2011)









- O Justiceiro está vivendo como um mendigo, quase sem armas e munição, perambulando pela cidade sem recursos e morando na casa abandonada em que um dia viveu feliz com a sua família, e continua na sua empreitada contra o Rei do Crime.
- Por outro lado, o Rei do Crime está em sua torre cercado de seguranças e mulheres, com a cidade a seus pés, e tendo como segurança particular ninguém menos que a Elektra. Dispõe de tudo que precisa para matar o Justiceiro.

Em quem você apostaria?
Pense bem, pois em se tratando do Justiceiro...

MAGNÍFICA CONCLUSÃO do arco Sem-Teto. Estou louco pra contar mais do final dessa história mas vou me segurar e deixar vocês lerem por conta própria, haverá mais mortes, muitas mortes...





E de lambuja, essa edição de Grandes Heróis Marvel com a história completa Justiceiro, Homem da Máfia, ainda no tamanho formatinho da Abril.





Termina a era Greg Pak e se inicia uma nova série, assinada por Jason Aaron e Marcos Silvestri.
Após os eventos de Fear Itself, a recente mega-saga da Marvel, o Hulk é separado do agora insano Bruce Banner e toma novamente o caminho do isolamento e reclusão em um mundo que o odeia e teme.
Dessa vez, é Banner quem vai atrás do Golias Verde!


quinta-feira, fevereiro 23, 2012

Soldado Invernal 01 e 02; Quarteto Fantástico 600 a 602;









Bucky Barnes está 'morto', mas sua missão de parar os adormecidos outros agentes está em andamento. Há muita ação, espionagem e aventura para fazer você se alegrar no retorno do Soldado Invernal. 











O Tocha Humana está vivo, e como eu havia dito aqui mesmo no último post do quarteto, era muita idiotice cancelar uma revista com quase 600 números e quase 50 anos. (Também acho que a DC fez merda com suas revistas...)


*****************


Pra descontrair, algumas imagens legais e engraçadas:













terça-feira, fevereiro 21, 2012

Loveless: Terra sem Lei 01 a 12; Venom 01 a 09;






Loveless - Terra Sem Lei (no original, Loveless) é uma série de revistas de histórias em quadrinhos do gênero faroeste criada pelo escritor norte-americano Brian Azzarello e pelo desenhista Marcelo Frusin e publicada pela DC Comics através de seu selo editorial Vertigo. Desenhada por Frusin, Danijel Zezelj e Werther Dell'Edera, Loveless foi publicada entre dezembro de 2005 e maio de 2008, por um total de 24 edições

 Enredo

Wes Cuter é um homem procurado fugindo de um passado violento - os horrores da Guerra Civil que assolou os EUA -, das memórias do tempo que passou num campo de prisioneiros da União e da selvageria da Reconstrução. Mas agora ele voltou para casa numa cidade repleta de mistérios, em busca de sua esposa Ruth - uma mulher atormentada e dona de seus próprios segredos.[1]

*** Texto retirado da Wikipédia, a enciclopédia online.

Eu nem sabia que a Panini já havia publicado aqui no Brasil essa série, achei que estava lendo material inédito por aqui mas não. A Panini lançou em junho de 2011 o final da série em uma edição especial com 144 páginass, contendo as edições 21 a 24:

 Pra quem perdeu as edições em banca, pode tentar corrrer atrás delas em algum sebo, ou igual a mim, esperar pela tradução dos scans que o DarkSide Club e o Vertigem estão fazendo, porque é material de primeira qualidade. Pena que a tradução esteja muito falha, mas dá pra entender a história.






O letal simbionte alienígena Venom está sob custódia do exército americano... e, com um rosto familiar do mundo do Homem-Aranha unido a ele, o Homem-Aranha do governo vai sair em missões suicidas ao redor do globo! 





terça-feira, fevereiro 14, 2012

Fatale 01 e 02; Mulher Maravilha 04 e 05; Adele








"A dupla formada pelo roteirista Ed Brubaker e pelo desenhista Sean Phillips construiu ao longo dos anos uma sólida parceria em histórias que brincam com o gênero noir. Desde Sleeper, na extinta Wildstorm, até Incognito e Criminal pela Marvel, ambos conseguiram criar uma biblioteca de grandes histórias e personagens que trouxeram para os quadrinhos o que existe de melhor na tradição de autores como Raymond Chandler e Dashiell Hammett.

Agora, a dupla associa esse já desenvolvido repertório à literatura de horror criada por escritores como James M. Cain e H.P. Lovecraft para criar Fatale, nova série que será publicada pela Image Comics.

Fatale volta a lidar com os esteriótipos do noir, colocando a fêmea fatal no centro da trama, ao lado de um personagem que descobre um mal antigo e passa a ser perseguido por isso. Mas, nos doze números da série, nada é linear. Brubaker disse que iremos dos tempos atuais para os anos 30 ou 70 ou 50, dependendo de quem está contando a história. Tuddo isso recheado de monstros, cultos demoníacos, sexo e assassinatos." by só quadrinhos.








Mais duas edições da Mulher Maravilha nessa versão reboot da DC.













Adele planeja sumir “por quatro ou cinco anos” para dar mais atenção à vida pessoal thumbnail Cantora passou por cirurgia nas cordas vocais recentemente e foi a escolhida nas seis categorias do Grammy para as quais foi indicada.
A carreira da cantora britânica Adele, de 23 anos, disse em entrevista à revista Vogue que vai “sumir por quatro ou cinco anos” para dar mais atenção a sua vida pessoal e que o próximo disco só será lançado daqui “no mínimo três anos”. 
54° Grammy: Adele e suas seis estatuetas e homenagens a Whitney Houston marcam a noite
O primeiro CD da cantora, 19, foi lançado em 2008. O segundo, 21, em 2011. No último domingo, 12, Adele ganhou seis prêmios na 54ª edição do Grammy, incluindo o de álbum e canção do ano.
“Eu não vou aparecer com um disco novo até que ele seja melhor que o 21“, disse. “Eu não quero lançar qualquer coisa. E eu também não tenho nada sobre o que escrever! Eu estaria mentindo. E isso iria contra tudo que eu vim construindo para mim. Então, sim, eu precisarei de no mínimo três anos para fazer um disco.”
O tema do próximo álbum, mesmo assim, está definido. Ou quase. Adele disse que “nunca mais” fará um disco sobre o fim de um relacionamento. “Cansei de ser uma bruxa amargurada.”
Sobre sua vida pessoal, disse que seus relacionamentos falham quando está sempre trabalhando. “Assim, pelo menos agora eu terei tempo de fazer um disco alegre. E ficar apaixonada e ser feliz. Depois não sei o que farei. Vou me casar. Ter filhos. Plantar uma horta.”
Adele namora Simon Konecki, 37, diretor da ONG Drop4Drop. “Ele é maravilhoso”, derrete-se a cantora. “Acho que eu não teria me recuperado da cirurgia [nas cordas vocais, feita em novembro do ano passado] se não fosse por ele”.

*** Fazia tempo que eu não simpatizava com uma cantora revelação como simpatizei com Adele. As suas canções (tá, só ouvi as 2 acima), a sua potente voz, mas principalmente pelo seu jeito de ser. Ela é uma anti-... anti-..., aquela maluca que morreu faz pouco; e também uma anti-lady gaga, embora da lady Gaga eu goste muito das suas músicas, mas não mais que isso. Pode-se dizer que ela nunca usará drogas, nem será alcoolátra, mas em se tratando do grande show business não dá pra ter certeza.

domingo, fevereiro 12, 2012

Grifter 01 a 06; Homem Animal 06; Tio Patinhas 40 anos




Antigo integrante dos WildCats, o homem mais procurado do governo começa em uma série totalmente nova! Ex-agente, Cole Cash é Grifter, um exímio atirador de lábia irresistível que se torna um serial killer, caçando e exterminando seres desumanos escondidos em forma humana - criaturas que só ele pode ver!
O grupo de super-heróis WildCats fazia parte do universo da Wildstorm,  agora integrada ao novo universo DC rebotado.
Estou acompanhando as histórias desse personagem, que me cativou quando li a história Capitão Átomo Armageddon. Aliás essa minissérie do Capitão Átomo no universo Wildstorm mostrava tudo que esse universo tinha de ruim. Super-heróis com poderes absurdos e ridículos como  "todo o conhecimento da humanidade", ou então "o espírito do século 21", ou ainda "o poder das cidades"..., lembro de uma cena em que o capitão átomo detona com o grupo WildCats, e então chega o Grifter, antes conhecido como o Bandoleiro, ameaçando o capitão átomo após ele ter dado a maior surra nos WildCats com uma arminha chinfrim! Mas mesmo assim simpatizei com esse herói.
Não com o tal universo Wildstorm, pois o pior ainda estava por vir. Acreditem, que nesse universo tem uma dupla de heróis que é uma versão de Batman e Super-Homem, o Meia-noite e o Apolo. Até aí tudo bem, mais uma homenagem para os dois, mas o decepcionante é... ...que eles são amantes! Cara, isso foi a maior merda que eu já encontrei nos quadrinhos. E é sério, não é uma paródia ou caricatura, os caras realmente tem um caso! Fiquem de olho, pois essa merda tá acontecendo de novo no DC reboot, pois na edição 06 de StormWatch o meia-noite já chamou o Apolo de gostoso. Constrangedor.













Edição comemorativa dos 40 anos do pato mais rico do mundo.


***  Em tempo: A hq Black Kiss, de Howard Chaykin, postada anteriormente aqui no blog, foi escaneada pelo Tio Sukita, autor do blog Doom Scans. Eu não costumo colocar créditos pelos scans, pois os próprios autores já colocam imagens dos seus blogs com endereços e tudo mais dentro do scan, mas como recebi uma bronca do Tio Sukita, aí está então.

*** Obrigado pela informação, Schepens. Vou conferir mais alguns números da Surpreendente X-Men, tomara que valha a pena.

terça-feira, fevereiro 07, 2012

Surpreendentes X-Men 01 a 24; Virgulóides 1997







"... A nova revista foi muito badalada na época de seu lançamento (da mesma forma que o foi Novos X-Men) por conta do roteirista ser Joss Whedon, o criador de Buffty, A Caça-Vampitos e da série de FC Firefly. Já os desenhos estavam a cargo de John Cassaday, de quem eu me tornara admirador depois que o conheci na série Planetary, provavelmente a minha HQ preferida de todos os tempos.

Ainda assim, não li em os scans na época, nem quando foi publicada no Brasil nas revistas mensais. Os dois métodos tinham suas desvantagens para mim. O primeiro, o fato de parar em frente ao computador para ler, e o segundo devido a eu não conseguir manter um rotina monetária para comprar edições mensais. Então, eis que a Panini lança o encadernado com os primeiros dois arcos dessa nova revista.

Deve-se dizer que o título "Surpreendentes X-Men" foi honrado. Whedon já chegou surpreendendo, realmente. O primeiro arco nos traz uma retumbante revelação: uma vacina que pode curar a condição de mutante. Creio que esta história tenha inpsirado o roteiro do terceiro filme dos X-Men. Junto com esa suposta cura, um alienígena de um planeta chamado Grimamundo quer destruir os X-Men e ele parece saber muito mais do que aparenta. No segundo arco, muita coisa não pode ser dita, para não se estragar a surpresa para quem não leu ainda. A única coisa que posso dizer é que os mutantes ganham um novo e improvável inimigo. Alguém que sempre esteve com eles.

São 322 páginas de aventura de verdade, como se espera de algo assim, quando damos nosso dinheiro nas mãos do jornaleiro
."  

*** Acima, parte do texto do Eudes, do Rapadura Açucarada, que disponibilizou o encadernado com as edições 01 a 12. Empolgado pela excelente leitura, fui atrás das outras edições, e consegui o 2o. arco que levou o grupo ao Grimamundo, e ao desfecho da profecia sobre o destruidor daquele planeta (um x-men), que foi na edição gigante. 
Este segundo arco não deve nada ao primeiro, e também é escrito e desenhado pela dupla Joss Whedon e John Cassaday.  
Mais ainda empolgado, fui atrás das edições 25 em diante, e que decepção! Os desenhos horríveis, os personagens pareciam que estavam sempre numa festa a fantasia com um sorriso bobo no rosto, perderam toda a profundidade que a primeira dupla havia dado a cada um deles. Na capa assinavam a porcaria o Warren Ellis e nem lembro o desenhista meia boca daquilo. Li um pouco e desisti, mas ainda vou dar uma olhada nas edições posteriores na esperança de que tenham trocado o escritor e desenhista.
E fiquei sem saber o que aconteceu com a Kity Pride após o término da edição gigante e o final do arco do Grimamundo, onde ela salvou a Terra, nem o que aconteceu a nova inimiga Perigo, e a promessa que a Emma Frost fez a ela de lhe entregar Xavier em troca de sua ajuda. Não sei  se isso se perdeu com a troca de escritores ou se foi resolvido em alguma outra edição. Alguém saberia me informar?







Os Virgulóides foi uma banda caracterizada pelas suas letras bem humoradas e repletas de sarcasmo, e pela mistura de ritmos distintos, como o rock e o samba. Foi criada pelo trio Henrique Lima, Beto Demoreaux e Paulinho Jiraya em Cidade Dutra (Zona Sul de São Paulo), na segunda metade dos anos 90. O nome da banda surgiu da fusão de nomes de Virgulino Ferreira da Silva, o "Lampião", e do desenho animado Os Herculóides.
O mesmo produtor que revelou Raimundos, Carlos Eduardo Miranda, foi o responsável pela gravação do primeiro disco do grupo, lançado em 1997 e intitulado Virgulóides?. O CD de estréia de Virgulóides vendeu mais de 200 mil cópias e contém o principal hit da banda: "Bagulho no Bumba".
Em 1998, o Virgulóides lança seu segundo disco, Só Pra Quem Tem Dinheiro?, pela PolyGram. O álbum contou com a participação de Bezerra da Silva na faixa "Alcoólatra da Fumaça" e dos Raimundos na regravação de "Eu Sou Rebelde".
Após um período sem gravadora, o grupo lançou seu terceiro disco: As Aventuras dos Virgulóides, pela BMG em 2000, com produção do inglês Paul Ralphes (baixista da banda inglesa Bliss). No ano seguinte, a banda apresentou-se no Rock In Rio, no Rio de Janeiro.
Depois de passa rum ano sem conseguir contrato para shows e o novo disco não vingar, a banda resolve encerrar suas atividades.

*** fonte: Wikipédia

Sobre esse disco eu posso dizer que é um dos melhores casamentos de samba com rock, o tão falado samba-rock. Além de suas letras serem muito sarcásticas. Algmas dessas letras falam de verdades que ainda servem pros dias de hoje, como a que vai aí abaixo, sobre o cabra macho:
 

Salve o Cabra-Macho

Lêrêrêrê Ô
Estou aqui para dar um recado
muito sério, sábio, evidente e lógico
O homem macho ainda será raça rara
vista apenas em show de circo
ou quem sabe no zoológico
É ecológico
É ecológico preservar essa espécie em extinção
Pois do jeito que a coisa tá indo
o negócio tá feio, meu filho
A humanidade vai sumir desse mundão

SALVE, SALVE, SALVE, SALVE
O cabra-macho em extinção
Pois do jeito que a coisa tá indo
Só sobra viado e sapatão
E tem laranja que pensa
que só uma bomba ou uma guerra
pra dizimar a raça do homem na terra
Mas pense bem, Mas que bobagem
Pois o que tá matando o homem
é o lobisomem e o jacaré
na mais pura crocodilagem

sábado, fevereiro 04, 2012

Esquadrão Suicida 01 a 05; We 3; Watchmen 01 a 12; Pistoleiro minissérie 01 a 05; Guri Teló




Mais um dos títulos violentos da nova linha de revistas pós reboot DC. Trata-se, nada mais, nada menos, do Esquadrão Suicida! O grupo que conseguiu ser imortalizado em sua primeira releitura nos anos 1980 por John Ostrander, agora ganha nova vida pelas mãos de Adam Glass e Marco Rudy.
Na formação da equipe estarão (por enquanto) Arlequina, Pistoleiro e Rei Tubarão. Eles serão um grupo de condenados ao corredor da morte formado pelo governo para missões suicidas.
*** texto de multiverso DC.






Três animais foram treinados pelo governo e equipados com avançados exoesqueletos para se tornarem as mais mortíferas armas já produzidas: inteligentes, obedientes e - acima de tudo - letais.

No entanto, dentro das armaduras estão três amedrontados bichos de estimação, cujo instinto de sobrevivência pode se sobrepor aos desmandos de seus criadores.

Positivo/Negativo: A premissa pode parecer meio bizarra, o preço é alto, mas esta revista vale a pena. Ela é tudo que falaram e mais um pouco. Pode restar um certo receio na hora de comprar, já que o último material de Morrison no Brasil foi Novos X-Men, que teve seus altos de baixos, mas nem isso deve impedi-lo de ler esta fantástica história.

É impressionante o tanto que se pode falar dessa obra que, com certeza, pode entrar em uma lista de novos clássicos. Mas vale ressaltar alguns pontos que, de cara, podem não ser tão óbvios.

Primeiro, o jogo de linguagem que infelizmente se perde na tradução do título. O nome do projeto, WE3 vem de Weapon3 (Arma Três), mas é também a principal fala do vocabulário rudimentar dos três animais, já que We3 significa "Nós três".

É uma pena que esse efeito tenha se perdido, era algo que mereceria uma nota do tradutor. Mas as barreiras verbais se encerram ai, até porque a história é bem silenciosa, apenas com as falas necessárias.


Aliás, nisso há uma grande sacada do autor: não ter nenhuma fala de narração. Em momento algum são usados recordatórios. Obviamente, existe um narrador, pois é pelos olhos dele que o leitor assiste à história, mas ele não precisa falar nada, apenas mostrar.

Esse poder de síntese no texto, essa comunicação não verbal, só funciona executada por um desenhista de alto nível, que consiga produzir uma narrativa que não seja só o enquadramento de uma câmera, alguém que possa demonstrar a passagem de tempo entre os quadros e as emoções envolvidas, que tornam esse tempo muito subjetivo.

E este é um dos grandes trunfos de Quitely. A estrutura visual, os layouts de página que se adaptam a cada situação, o impacto das cenas e outros elementos visuais acrescidos tornam as imagens auto-suficientes, ao ponto de que nada mais precisa ser dito.

Claro que Quitely é mais que um bom narrador; é um desenhista surpreendente, com um nível de detalhes absurdo. Outra particularidade que o faz merecedor do prêmio Eisner é uma certa frieza, uma crueldade inexplicável que seu traço possui. Isso casou perfeitamente com a obra, transmitindo emoções que muitos não imaginariam possíveis.

Um bom exemplo está na página 23, com os ratos e o sorriso do cientista entre as cenas. Note a carga de sensações envolvidas nessas imagens.

A trama que conduz a história é simples, mas muito bem resolvida. Morrison conta um evento chocante, com muita ação e um final digno, que não deixa aberturas para continuações ou tentativas posteriores, que geralmente só conduzem a desastres.

Há muito mais para discutir sobre este trabalho, mas não vale a pena tentar verbalizar o que os autores criaram visualmente. Em resumo, WE3 é um exemplo de como uma história em quadrinhos deve ser contada

*** Excelente sinopse, do site Universo Hq.





Watchmen é considerada um marco importante na evolução dos quadrinhos nos EUA: introduziu abordagens e linguagens antes ligadas apenas aos quadrinhos ditos alternativos, além de lidar com temática de orientação mais madura e menos superficial, quando comparada às histórias em quadrinhos comerciais publicadas naquele país. O sucesso crítico e de público que a série teve ajudou a popularizar o formato conhecido como graphic novel (ou "romance visual"), até então pouco explorado pelo mesmo mercado.
Diz-se que Watchmen foi, no contexto dos quadrinhos da década de 1980 — juntamente com A Queda de Murdock e The Dark Knight, de Frank Miller, e Maus, de Art Spiegelman — um dos responsáveis por despertar o interesse do público adulto para um formato até então considerado infanto-juvenil.
A série foi galardeada com vários Prêmios Kirby e Eisner, além de uma honraria especial no tradicional Prémio Hugo, voltado à literatura: é até o momento a única graphic novel a conseguir tal feito.[2] Watchmen também é a única história em quadrinhos presente na lista dos 100 melhores romances eleitos pela revista Time desde 1923.[3]
A trama de Watchmen é situada nos EUA de 1985, um país no qual aventureiros fantasiados seriam realidade. O país estaria vivendo um momento delicado no contexto da Guerra Fria e em via de declarar uma guerra nuclear contra a União Soviética. A mesma trama envolve os episódios vividos por um grupo de super-heróis do passado e do presente e os eventos que circundam o misterioso assassinato de um deles. Watchmen retrata os super-heróis como indivíduos verossímeis, que enfrentam problemas éticos e psicológicos, lutando contra neuroses e defeitos, e procurando evitar os arquétipos e super-poderes tipicamente encontrados nas figuras tradicionais do gênero. Isto, combinado com sua adaptação inovadora de técnicas cinematográficas, o uso frequente de simbolismo, diálogos em camadas e metaficção, influenciaram tanto o mundo do cinema quanto dos quadrinhos.
Uma adaptação para o cinema foi lançada em 6 de março de 2009.[4]

*** Para saber mais, leia na íntegra o wikipédia de Watchmen.





o que acontece quando o melhor assassino de que se ouviu falar, frio, calculista e crente de que não tem razão para viver... descobre a existência de uma filha?
Esse é o ponto-chave da trama proposta pelo roteirista Christos N. Gage, que conta com o traço de Steven Cummings e arte-final de Jimmy Palmiotti. Lançada em janeiro de 2005, essa minissérie é mais uma excelente história desse personagem que eu curto muito. E eu garanto, vale muito a leitura.



Versão daquela música que nem precisa lembrar, feita pelo humorista Jair Kobe, o Guri de Uruguaiana, como sempre satirizando a música Canto Alegretense. Eu queria colocar o vídeo, mas essa porcaria do blogger não funcionou, por isso aí acima está só o link do vídeo no youtube.

E pra acompanhar o bom humor, aí vai uma piada:

Uma loira e um advogado estão sentados lado a lado num vôo de São Paulo para Belém.

De repente, o advogado diz:

—Eu aprendi um jogo interessante aqui em São Paulo! Você não quer jogar comigo?

—Não, moço. . . Obrigado. . . Eu só quero dormir mesmo! — E vira pro lado pra tirar uma soneca.

—Por favor! — Insiste o advogado — É um jogo fácil e bastante divertido!

—Como é esse jogo? — Pergunta a loira, contrariada.

—É assim: Eu te faço uma pergunta e se você não souber a resposta me paga cinco reais! Aí depois é a sua vez!

A loira pensou, pensou e disse:

—Não estou interessada! — Virando novamente pra tirar uma soneca.

—Ok, então se você não souber a resposta me paga cinco reais e se eu não souber, te pago 500 reais!

—Tá bom, vai! — Finalmente concordou a loira — Faz logo a primeira pergunta!

—Qual a distancia exata entre a Terra e a Lua?

A loira não disse nenhuma palavra, abriu a bolsa, pegou cinco reais e entregou ao advogado. Então ela perguntou:

—O que é que sobe a montanha com três pernas e desce com quatro pernas?

O advogado pensou, pensou e pagou os quinhentos reais para a loira.

—Muito obrigada! Foi um prazer jogar com você! — Disse ela, virando-se para tirar a tão desejada soneca.

—Espera aí! — Diz o advogado. — Qual é a resposta da sua pergunta?

Então a loira abriu a bolsa, deu cinco reais ao advogado e voltou a dormir.